Posts tagged ‘Missões’

Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo Parte 23

BONIFÁCIO PARTE PARA SER MISSIONÁRIO

De maneira semelhante a Elias no monte Carmelo, Bonifácio, o missionário saxão da Inglaterra, posicionou-se contra o paganismo profundamente arraigado no coração da Alemanha. Ele tinha um machado em sua mão, e, diante dele estava a enorme Arvore do Trovão [um carvalho], um marco local que os pagãos diziam ser consagrado ao deus do trovão, chamado Donar. Até mesmo alguns dos que haviam se convertido ao cristianismo, por meio da pregação de Bonifácio, adoravam secretamente diante daquela árvore.

Bonifácio denunciou aquela adoração falsa de maneira audaciosa.

Como representante do verdadeiro Deus dos cristãos, destruiu o santuário maligno. Ele atingiu aquela árvore “sagrada” com seu machado e, surpreendentemente, a Arvore do Trovão caiu, causando grande barulho.

Assim diz a lenda. Se os detalhes são verdadeiros ou não, eles retratam de maneira justa a audácia de Bonifácio, sua fé e seu incansável desafio às falsas religiões.

Nascido de pais cristãos no ano de 680, em Wessex, seu verdadeiro nome era Winfrid. Foi instruído em um mosteiro beneditino e ordenado aos trinta anos de idade. Possuía grande capacidade de aprendizado e liderança. Poderia ter ficado na Inglaterra, estudando, ensinando e talvez até mesmo dirigindo um mosteiro. Porém, seu coração queimava por outros que ainda não faziam parte do aprisco cristão. Milhares de compatriotas saxões nos Países Baixos e na Alemanha precisavam ouvir o Evangelho.

Em 716, Winfrid parte para a Frísia, onde missionários ingleses já haviam trabalhado por várias décadas. O rei da Frísia, Radbod, se opunha ao cristianismo. A pressão foi grande demais, e Winfrid voltou à Inglaterra após fracassar em sua primeira missão.

Seus colegas beneditinos pediram que servisse como abade de seu mosteiro. Depois daquela angustiante experiência na Frísia, ele se sentiu inclinado a aceitar o convite. Contudo, a visão de Winfrid ainda estava voltada para fora. Viajou para Roma em 718 e ali recebeu um comissionamento missionário por parte do papa. Ele deveria ir mais longe no continente, passar além do Reno, estabelecendo a igreja romana entre os povos germânicos.

A maior parte da Alemanha já havia sido exposta ao cristianismo de uma maneira ou de outra, mas não existia nenhuma igreja forte ali. No século IV, as tribos germânicas se apegaram ao arianismo e o misturaram às suas superstições. Algum tempo depois disso, os missionários celtas fizeram alguns convertidos, que não deram continuidade à missão, no sentido de organizar uma igreja naquele lugar. O papa estava ansioso para que a igreja estabelecesse sua presença ali.

Winfrid foi primeiro à Turíngia para reavivar uma igreja ali enfraquecida. A seguir, ouvindo que seu velho inimigo Radbod morrera, retornou à Frísia. A autorização papal pode ter dado a Winfrid maior autoridade sobre os governadores locais. Ele trabalhou ali por três anos e depois se mudou para o sudeste, seguindo para Hesse.

Voltou a Roma em 723 e foi consagrado bispo, quando recebeu um novo nome: Bonifácio (aquele que faz o bem). A ele também foi dada uma carta de apresentação para ser levada a Carlos Martelo, rei dos francos. A bravura de Carlos, como militar, era muito conhecida (mais tarde, ele expulsaria os muçulmanos da cidade de Tours). Sua assistência foi um grande apoio para Bonifácio.

Voltando para Hesse, Bonifácio continuou seus esforços para eliminar o paganismo e construir a igreja. Foi nessa ocasião que ele, como se supõe, derrubou a árvore sagrada. Talvez, o fato responsável por impedir que os cidadãos atacassem Bonifácio tenha sido o temor a Carlos Martelo. Seja como for, o final da lenda é que o cristianismo se tornou a nova força a ser enfrentada na Alemanha. Se os deuses germânicos não podiam sequer manter uma árvore em pé, então havia pouco a oferecer se fossem comparados ao Deus de Bonifácio.

Bonifácio atraiu vários missionários da Inglaterra — monges e freiras que estavam ansiosos para trabalhar ao lado dele. Com a ajuda deles, Bonifácio estabeleceu uma vigorosa organização eclesiástica por toda a região.

Ironicamente, seu protetor, Carlos Martelo, frustrava as tentativas de reforma da igreja entre os francos. Carlos manteve a igreja naquele local sob seu controle, apoderando-se de suas terras e vendendo propriedades da igreja. Somente depois de sua morte, em 741, é que Bonifácio pôde assumir a igreja franca.

Em 747, Bonifácio viajou mais uma vez para Roma, onde foi nomeado arcebispo de Mainz e líder espiritual de toda a Alemanha. Contudo, como ele já passava dos setenta anos, estava ansioso para concluir os negócios ainda em aberto. Depois de renunciar a seu arcebispado em 753, voltou para a Frísia, onde começara seu trabalho missionário. Ali, chamou de volta alguns de seus primeiros convertidos — que haviam voltado ao paganismo — e mudou-se mais uma vez, indo agora para regiões não alcançadas.

No domingo de Pentecoste de 755, em Dackum, perto do rio Borne, ele planejou um culto ao ar livre que serviria para uma pregação e para a confirmação de novos crentes. Enquanto estava ao lado do rio, preparando-se para o culto, um grupo de arruaceiros caminhou na direção de Bonifácio. Várias pessoas se prepararam para lutar contra os baderneiros e expulsá-los de lá, mas Bonifácio gritou: “Meus filhos, parem com esse conflito […] não tenham medo dos que matam o corpo, mas que não podem matar a alma […] Recebam com firmeza este momentâneo sopro de morte para que vocês vivam e reinem com Cristo para sempre”. Diz-se que ele morreu com os evangelhos nas mãos.

Os críticos dizem que Bonifácio foi simplesmente um homem de organização, que a maioria de seu “trabalho missionário” foi basicamente político, fomentando a fidelidade à igreja romana nas áreas onde ela era fraca. É verdade que ele ajudou a lançar os fundamentos do Sacro Império Romano e as políticas do papado medieval. Devido a Bonifácio, a Alemanha foi uma fortaleza da igreja romana até a época da Reforma.

Não se pode, porém, questionar a devoção pessoal de Bonifácio, sua coragem e seu serviço fiel. O historiador Kenneth Scott Latourette disse: “Poucos missionários cristãos, se é que existiram, apresentaram por meio de sua conduta, de maneira tão precisa quanto Bonifácio, os ideais da fé que tentavam propagar. Ele era humilde, a despeito das tentações que vieram com as altas posições eclesiásticas; sempre se colocou muito acima dos rumores do escândalo; foi um homem de oração e que tinha autoconfiança; assim como era corajoso, abnegado e apaixonado pela justiça. Bonifácio foi um dos maiores exemplos de vida cristã”.

fevereiro 22, 2011 at 2:56 pm Deixe um comentário

10 Razões pelas quais as Igrejas devem investir o Ministério de Jovens

1- Hormônios + energéticos + Jesus = rápida propagação do evangelho;

2. Os adolescentes podem levar o evangelho muito além do que podem os adultos (cada um tem no mínimo 100 ou mais amigos on line e com quem convivem diariamente!);

3. Jovens líderes tendem a ser subestimada e sub-financiado, são candidatos perfeitos para serem usados por Deus;

4. Os adolescentes podem espalhar o evangelho mais que os adultos (eles já construíram pontes relacionais com os perdidos!);

5. Mensagens de texto tornam os dedos adolescente ágeis para encontrar os versículos em sua Bíblia rapidamente enquanto evangelizam;

6. Jesus fez (há evidências bíblicas fortes de que a maioria dos discípulos eram adolescentes!);

7. Há 67.342 campos de mini-missão na América, que nós chamamos de escolas secundárias e escolas de ensino médio;

8. Jovens líderes são sonhadores irrealistas que querem fazer a diferença e podem, se deixá-los!;

9. Adolescentes não são a igreja de amanhã, mas são os transformadores potenciais da igreja de hoje;

10. Deus tem usado os adolescentes a conquistar vitórias (David), salvar as nações (Ester) e pode usá-los para acender reavivamentos!

 

Por Greg Stier

Tradução OGalileO

fevereiro 21, 2011 at 1:44 am Deixe um comentário

Missões no Irã

A algum tempo atrás, deixei um vídeo salvo em meus favoritos e esperava o momento certo de postar ele aqui. Não quero dizer que este seja o momento certo, mas estava fazendo uma limpa nos meus favoritos e resolvi postar esse vídeo logo.

O vídeo trata a respeito de uma igreja subterrânea no Irã.

Para você que não sabe o Irã é o 2º país no ranking de países onde os missionários sofrem perseguição.

Um pouco sobre o Irã:

Irã é o nome atual da antiga Pérsia, que foi cenário de muitas histórias bíblicas. Entre elas encontram-se a história de Daniel na cova dos leões, a luta de Ester e Mardoqueu para salvar o povo judeu, e o serviço de Neemias ao rei.

A religião oficial do país é o islamismo, e os Xiitas são a maioria. Existem pequenas minorias de Zoroastras, Bahaístas, Judeus e Cristãos.

A Igreja está presente no país desde épocas remotas, como do Antigo Testamento. Mas, com a chegada do islamismo no Irã, ela começou a sofrer opressão.

Depois da Revolução Islâmica, em 1979, a situação da Igreja mudou drasticamente, resultando na queda do número de cristãos nas igrejas oficiais, principalmente por causa da emigração para outros países.

As igrejas oficiais (registradas no governo) têm, juntas, cerca de 150 mil membros. A maior parte desses é de origem Armênia ortodoxa, mas há também alguns milhares de protestantes e católicos romanos. Quase todos vieram de famílias cristãs.

Não se sabe exatamente o total de ex-muçulmanos.

No geral, a Igreja tem crescido, e de forma estruturada, organizando os cristãos em congregações ou células.

Embora os direitos de Cristãos, Judeus e Zoroastras sejam assegurados pela Constituição, na prática, todos são vítimas de retaliação e perseguição. As restrições e a perseguição ao cristianismo têm se multiplicado rapidamente nos últimos anos.

Os muçulmanos que se convertem ao cristianismo são rotineiramente interrogados e espancados. Além disso, acredita-se que muitos homicídios não esclarecidos são praticados por radicais que freqüentemente ameaçam os cristãos de morte.

Motivos de oração

1. É importante que novos convertidos cresçam no conhecimento do Senhor e da Bíblia. Ore para que haja oportunidades de treinar essas pessoas, e que os métodos e materiais necessários estejam disponíveis e sejam acessíveis.

2. O crescimento traz novos membros para a Igreja, mas também gera mais perseguição. Louve a Deus pelos milhares de cristãos iranianos. Ore para que a Igreja iraniana seja capaz de encontrar meios discretos e criativos para testemunhar.

3. Os líderes da Igreja têm sido duramente perseguidos. Ore pedindo proteção para os cristãos iranianos, em especial para os líderes, vítimas de severa perseguição no passado. Muitos deles foram mortos e outros vivem acuados pelo medo.

4. Muitos mártires cristãos eram chefes de família. Ore por suas viúvas, que têm de cuidar dos filhos com poucos recursos.

5. A população tem ouvido o evangelho pela TV. Receptores de TV via satélite são muito difundidos. Ore para que as transmissões, que varrem o território iraniano, resultem em muitos frutos.

6. Interceda pelas eleições presidenciais que serão realizadas em junho de 2009 no Irã. Ore para que o novo líder seja mais tolerante ao cristianismo e reveja a lei que exige a execução de quem abandona o islamismo.

FONTE: Missões Portas Abertas

setembro 29, 2010 at 2:46 am 1 comentário

Jesus Freaks – Cristãos Radicais!!

Vivemos dias onde uma gurizada se “converte”, “aceita” Cristo (coloquei entre aspas porque muitos vivem de fachada) e querem dar uma de Style e fazer coisas Freak pra Jesus, porém, essa gurizada acaba mais imitando o mundo do que sendo Jesus Freaks.

Não lembro se li no blog ou conversei com o @eversonbarbosa , mas lembro sobre um livro que falava dos Jesus Freaks, que eram uns camaradas que tipo, faziam missões onde outros tinham medo, que sofriam dores e até eram mortos por causa do amor a Cristo.

Bom, na minha singela opinião, esses sim são verdadeiros cristãos radicais, e não essa gurizada que anda de skate, ou que surfa, ou que faz esportes radicais.

Ainda nesse assunto tem um vídeo do Paul Washer sobre Cristão Radicais, vale a pena você investir 4:14 do seu dia para assistir esse vídeo.

Espero que você consiga tirar proveito e mudar sua mente com relação a essa percepção de Cristãos Radicais!

Paul Washer – Cristãos Radicais

abril 23, 2010 at 1:46 pm Deixe um comentário

Sal da terra ou sal na terra?

salVós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.

“Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.”

Essas famosas palavras do Nosso Senhor Jesus estão escritas em Mateus 5:13 , e nos mostram o que nós devemos ser na nação brasileira… Devemos ser sal, mas será que somos?

 

Existe no site do IBGE, um estudo sobre a população brasileira (logo abaixo segue o link), o estudo mostrou uma expressiva redução de católicos apostólicos romanos de 95% para 73,6% da população no período 1940/2000. Enquanto isso, os evangélicos cresceram de 2,6% para 15,4%

http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=892&id_pagina=1  

Tudo bem, crescemos, estamos conquistando espaço na nação brasileira, e no mundo, tá e isso é o suficiente?

Se fuçarmos na internet (e nem precisa ser muito), iremos encontrar MILHARES de igrejas “evangélicas” (as aspas foram de propósito),  com CENTENAS de membros que muitas vezes não merecem nem de serem chamados de cristãos.

Se nesse ponto do POST você não quiser mais ler eu entendo, mas é um desabafo, e na verdade o blog é meu e escrevo o que eu qusier (não fique triste comigo amado, mas estou cansado…).

Tô cansado de tanto charlatanismo, de tanta gente se fazendo de Mártir quando na verdade são uns exploradores, e aí temos que ficar explicando que “como em todos os lugares, profissões e afins existem gente corrupta”, mas isso não poderia acontecer em nosso meio. De que adianta sermos sal somente dentro da igreja, onde cantamos, pregamos, damos lição de moral, nos achamos os espirituais e fora da igreja nem falamos de Jesus para o camarada do nosso lado?

Que tipo de cristianismo é esse que a igreja do Brasil está vivendo hoje? Será que nesses 15,4% de evangélicos existe 10% que queiram fazer a diferença? Será que estamos fazendo a diferença? Será que os pastores não estão pensando mais em seus bolsos e não no próximo? Será que você não está pensando mais em seu bolso do que no próximo?

Quando foi a última vez que você ajudou financeiramente um irmão da igreja?

Quando foi a última vez que você doou uma cesta básica?

Quando foi a última vez que você levou 1 Kg de alimento na sua igreja pra ajudar as famílias mais carentes?

Quando foi a última vez que você falou de Jesus pra alguém?

Quando foi a última vez que você olhou para um mendigo e sentiu dor pela condição dele e falou de Jesus pra ele?

Quando foi a última vez que você foi visitar alguém que saiu da sua igreja?

E aí, dá pra refletirmos bastante neh?

E aí, você é o sal NA terra, ou sal DA terra?

Quem você quer ser?

Que Deus te abençoe, e após ler esse POST, fale de Jesus para alguém, ajude alguém, ore por alguém…

 

maio 1, 2009 at 10:52 pm 2 comentários


Põe teu e-mail ai cara, vou te mandar um e-mail de volta e sempre que eu escrever algo novo se vai ficar sabendo primeiro que os outros... hehehe

Junte-se a 9 outros seguidores

Calendário

julho 2017
D S T Q Q S S
« abr    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Feeds

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Visitas

  • 122,199 Abençoados que visitaram o blog

Meus updates no twitter

Arquivos


%d blogueiros gostam disto: